Perfil Profissional

O Radioterapeuta tem uma intervenção interdisciplinar cujo objetivo fundamental consiste no planeamento e aplicação de terapêuticas através da utilização de radiação ionizante. É o grupo profissional com responsabilidade na administração e verificação do tratamento, assim como na atuação no processo de simulação, planeamento dosimétrico, controlo e gestão de qualidade assegurando o cumprimento de normas de proteção radiológica vigentes. No contexto da doença oncológica o Radioterapeuta intervém no acolhimento e cuidados ao doente oncológico, quer nas fases preparação, durante e pós tratamento.

São orientadores da atividade e reconhecimento profissional os seguintes domínios de competência:

Profissionalismo e Responsabilidade Clínica:

A autonomia e responsabilidade do Radioterapeuta assentam numa prática segura, que requer uma formação baseada em conhecimentos técnicos e científicos, com uma avaliação crítica e contínua de todas as atividades que realiza. O Radioterapeuta detém um profundo conhecimento das áreas científicas integrantes, nomeadamente a oncologia, a radiobiologia, a física das radiações, a imagiologia, assim como outras complementares como a psicologia e a nutrição, de modo a proporcionar a capacidade de avaliação clínica na sua prática diária. A profissão de Radioterapeuta é caracterizada pelo trabalho em equipa, numa abordagem multi  e interdisciplinar.


Cuidados com o doente

O Radioterapeuta é responsável pelo conforto físico e psicológico do doente ao longo de todo o tratamento, aconselhando e acompanhando os doentes e respetivos familiares, principalmente no que se refere ao tratamento e seus efeitos secundários. Assim, deve observar continuamente o doente, monitorizando a sua reação aos tratamentos, reconhecendo alterações significativas e tomando as atitudes adequadas.


Uso das tecnologias de Radioterapia

É competência do Radioterapeuta planear, verificar e aplicar eficazmente as técnicas de tratamento, garantindo a administração segura e efetiva a terapêutica prescrita. O Radioterapeuta tem responsabilidade na execução de Radioterapia Externa e Braquiterapia, desde o planeamento e simulação à preparação e programação de todos os equipamentos. É responsabilidade do Radioterapeuta implementar, desenvolver e avaliar atualizações técnicas e tecnológicas inerentes à sua prática diária.


Posicionamento e Imobilização

O Radioterapeuta é o responsável pela definição do posicionamento e imobilização do doente. É função do Radioterapeuta a implementação, e controlo da qualidade e fiabilidade de todos os dispositivos usados no exercício das suas atividades.


Aquisição de Imagem para Planeamento e Simulação

O Radioterapeuta é responsável pela utilização da Tomografia Computorizada (TC) e Simulador para aquisição de imagens para planeamento, de acordo com as técnicas e protocolos de tratamento recomendados. É competência do Radioterapeuta o correto manuseamento, registo e fusão de imagens médicas, tais como a Tomografia por Emissão de Positrões (TEP) e a Ressonância Magnética Nuclear (RMN), no contexto da simulação virtual em Radioterapia. O Radioterapeuta tem ainda um papel ativo de cooperação na aquisição da TEP-TC e da RMN, ao nível dos requisitos necessários ao posicionamento do doente, assim como a definição de protocolos de aquisição de imagem para o planeamento em Radioterapia.


Radioterapia Externa

O Radioterapeuta é o responsável pela utilização de aceleradores lineares, ortovoltagem, e outros equipamentos de administração de radiação externa. É competência do Radioterapeuta, a realização e monitorização de sistemas de posicionamento e imobilização assim como dispositivos e acessórios auxiliares de otimização de dose, como por exemplo os blocos de proteção, bólus, compensadores, entre outros.


Verificação do tratamento

É responsabilidade do Radioterapeuta garantir a qualidade dos tratamentos administrados, através de verificações periódicas. É competência deste profissional utilizar métodos e técnicas de verificação de forma a recolher e avaliar as informações clínicas relevantes à definição e implementação de protocolos de verificação e ação.


Braquiterapia

É função do Radioterapeuta planear e preparar as fontes radioativas, adquirir imagens para planeamento e proceder ao respetivo processamento, efetuar o cálculo dosimétrico, programar os equipamentos de afterloading e aplicar eficazmente as técnicas de tratamento prescritas. Deve ainda o Radioterapeuta assegurar o cumprimento dos padrões de segurança e radioproteção de acordo com as características físicas inerentes a cada radioisótopo.


Dosimetria Clínica

Através da sua perícia, aptidão e conhecimentos técnico-científicos, o Radioterapeuta determina, dentro dos limites cientificamente aceitáveis, uma terapêutica eficaz com a exposição mínima a radiações ionizantes. É função do Radioterapeuta definir volumes de interesse como por exemplo, os órgãos de risco e outras estruturas relevantes ao processo de otimização da distribuição de dose. O Radioterapeuta analisa, realiza e avalia distribuições de dose, o que requer o manuseamento de sofisticados sistemas de planeamento computorizado e a integração de conceitos fundamentais de física das radiações, radiobiologia, anatomia seccional, entre outros.


Proteção e Segurança Radiológica

O Radioterapeuta deve compreender e aplicar a regulamentação na área da proteção e segurança radiológica de acordo com a legislação aplicável. O Radioterapeuta procura minimizar e otimizar a exposição à radiação respeitando sempre o princípio ALARA e o princípio da justificação da prática, quer na aquisição de imagem para planeamento, quer na verificação e administração do tratamento ou ainda durante o planeamento dosimétrico. O Radioterapeuta deve colaborar na verificação das condições de radioprotecção dos equipamentos, instalações e exposições ocupacionais.


Gestão e garantia da Qualidade

As áreas de intervenção deste profissional requerem a utilização de processos e protocolos que garantam a qualidade sistemática e fiável de todos os cuidados prestados. O Radioterapeuta pode integrar e liderar equipas que desenvolvem programas de controlo de qualidade sendo ainda responsável pela sua atualização e implementação. O Radioterapeuta deve realizar calibrações e verificações do equipamento, monitorizar continuamente a sua performance e proceder ao registo de todas as ocorrências. Este profissional pode atuar ao nível da acreditação, certificação e gestão da qualidade, no controlo e atualização de processos e realização de auditorias da qualidade e auditorias clínicas.


Controlo e Gestão do Risco

O Radioterapeuta tem o dever de reportar quaisquer eventos adversos e promover a cultura de não culpabilização. O Radioterapeuta deve agir proactivamente na análise e avaliação das causas de eventos adversos por forma a prevenir e eliminar ocorrências no futuro.


Organização e Gestão

Ao Radioterapeuta cabe a responsabilidade de organizar o seu trabalho de forma apropriada e eficiente, utilizando corretamente os recursos disponíveis, tendo um papel fundamental na gestão dos recursos humanos e financeiros do serviço de Radioterapia, devendo integrar comissões de escolha de materiais e equipamentos. Deve também integrar júris de concursos para seleção de recursos humanos.


Educação e Investigação

O Radioterapeuta deve atualizar os seus conhecimentos de acordo com os padrões atualmente desenvolvidos e aplicar métodos resultantes da investigação aplicada, podendo participar, integrar e/ou coordenar equipas de investigação. O Radioterapeuta é responsável pelo treino e educação técnico-científica dos estudantes, devendo também apoiar o desenvolvimento profissional e científico dos seus colegas. Devido à especificidade dos cursos de licenciatura em Radioterapia, o Radioterapeuta é o elemento principal na constituição das equipas de docência tendo também as competências necessárias à integração e seleção de equipas de trabalho e de investigação uni ou multidisciplinares. Cabe ao Radioterapeuta desenvolver as suas aptidões e competências ao longo da carreira através da formação contínua, assim como a investigação e disseminação do conhecimento quer a nível nacional quer internacional.